bookmark bookmark  
Glenda DiMuro On October - 23 - 2008

Quem é fã da Amélie Poulain (ou simplesmente já assistiu o filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain) sabe do que eu vou falar: pequenos prazeres!

Existem muitos pequenos prazeres na vida que, com a correria do nosso dia-a-dia, passam tão despercebidos que nem nos damos conta. Há pequenos prazeres comuns a todos os seres humanos (como lamber o dedo sujo de leite condensado), mas muitas vezes, eles não são compartidos, o que pode ser um grande pequeno prazer para um é uma completa idiotice para outro. Mas isso não importa, o que vale a pena é aquele momento de felicidade proporcionado pelo pequeno prazer.

Muitos não assumem quais são os seus pequenos prazeres, afinal de contas, contar um pequeno prazer pode revelar algo muito íntimo, que todo mundo faz, mas ninguém assume em público (como tirar meleca do nariz, fazer bolinha e dar um peteleco ou ainda dar pum debaixo das cobertas e cheirar – eca!).

Contar um pequeno prazer é revelar algo muito pessoal e dependendo de quanto estranho ou diferente for, pode causar reações diversas em quem escuta. Podes ser criticado, aplaudido, ignorado e até invejado. A grande verdade é que os pequenos prazeres, sejam quais forem, são essenciais para a nossa felicidade diária e sem eles nossos dias seriam menos coloridos.

Eu tenho muitos pequenos prazeres, alguns bem convencionais como lamber a tampa do iogurte depois de abrir-lo, raspar o que sobra em qualquer pote de doce, estourar plástico bolha, descascar esmalte de unha, mascar chiclete de boca aberta (e fazer bolas e barulhos irritantes), estalar os dedos, espremer cravos e espinhas (dos outros), comer primeiro o recheio da bolacha recheada, passar o dedo na cobertura do bolo, beber coca-cola da geladeira no bico. E também tenho outros não tão comuns, como misturar bala e chiclete na boca e engolir tudo, morder gelo, enfiar um canudo dentro de outro, tirar o plástico da carteira de cigarros (alheia) e tentar colocar pelo lado contrário, comer um montão de bala e fazer com os papéis uma bala “falsa” (e dar para alguém), morder tampa de caneta, jogar pipoca pra cima e pegar direto com a boca, comer pipoca uma por uma, demorar a comer um sorvete de taça para que ele derreta um pouco.

Esses são os que eu lembro agora, mas certamente tenho outros. E tu? Tens algum pequeno prazer para me contar?

Categories: Cotidiano

7 comentários

  1. Guima says:

    peidar no vento e olhar a cara das pessoas atrás, é um prazer??? Bju

  2. luizpeter says:

    Vou fazer uma lista, depois te digo…

  3. Carol Wieser says:

    Terminar do Yogurt e dar o potinho para minha cachorrinha enfiar a cara e lamber o resto.
    🙂

  4. Ana says:

    Hehehehe!
    Acho que o verdadeiro prazer, da tua lista, é fazer coisas “proibidas”!! Mesmo que sejam inofensivas!
    Coisa de “guria arteira”!!
    Adorei!

    Acho que meus pequenos prazeres tem a ver com liberdade: só almoçar na hora que me dá vontade, nem que seja as 4 da tarde! Quando morava na casa dos meus pais ou tinha filhos pequenos, isso era impossível!
    Outro: não lavar a louça! Deixar empilhar na pia e pronto!
    Dormir sem roupa, porque ninguém vai invadir meu quarto…
    Comer negrinho antes de jantar… heheheh!
    Tudo tem a ver com regras que não preciso mais seguir!! Êbaaaa!

  5. Glenda Dimuro says:

    Bah, sabes que até hoje quando tomo coca-cola no café da manhã ou como um doce antes do almoço me sinto culpada? Outra, não consigo dormir sem escovar os dentes (e não é só pela higiêne, é que lembro da minha mãe perguntado: já escovasse os dentes?).

  6. Alessandra Mosquera says:

    Eu adoro o filme “Amélie Poulain” e uma das coisas com que mais me identifiquei foram com os pequenos prazeres… quando eu era pequena também colocava a mao dentro de sacos de graos, como ela… hoje em dia o que eu adoro é cheirar uma maça antes de escolher no super, dar o fundinho do iogurte para o meu cachorro (como a sua amiga aí em cima, hehehe), olhar meu cachorro dormir, dormir com lençóis limpos, ir a uma livraria e abrir um livro para ver as letras, os desenhos (se tiver) e sentir o cheiro de papel novo; quando era pequena, adorava sentir cheiro de gasolina quando o meu pai reabastecia… o que nao gosto: de sentir areia no corpo, de nao escovar os dentes, de sentir estranhos em transporte público “grudando” em mim, de quando meu marido coloca panelas dentro da pia… hehehehe.

  7. Alessandra Mosquera says:

    Eu adoro o filme “Amélie Poulain” e uma das coisas com que mais me identifiquei foram com os pequenos prazeres… quando eu era pequena também colocava a mao dentro de sacos de graos, como ela… hoje em dia o que eu adoro é cheirar uma maça antes de escolher no super, dar o fundinho do iogurte para o meu cachorro (como a sua amiga aí em cima, hehehe), olhar meu cachorro dormir, dormir com lençóis limpos, ir a uma livraria e abrir um livro para ver as letras, os desenhos (se tiver) e sentir o cheiro de papel novo; quando era pequena, adorava sentir cheiro de gasolina quando o meu pai reabastecia… o que nao gosto: de sentir areia no corpo, de nao escovar os dentes, de sentir estranhos em transporte público “grudando” em mim, de quando meu marido coloca panelas dentro da pia… hehehehe.

Deixe o seu comentário

Glenda Dimuro