bookmark bookmark  
Glenda DiMuro On September - 6 - 2009

Já posso dizer que conheço muita coisa pelo velho mundo. Ainda me falta muito, mas acho que já tenho uma boa bagagem. Adoro viajar e conhecer coisas novas, sou uma turista viajante inveterada. Às vezes alguma cidade me impressiona um pouco, às vezes muito, e poucas vezes sinto algo parecido com a indiferença, só que para melhor (se é que isso existe). Mas posso afirmar que pouquíssimas coisas me arrepiaram: o pôr do sol nos jardins do Palácio de Versailles, a história e as obras de Camille Claudel no museu de Rodin, a A Noite Estrelada de Van Gogh, a casa da Anne Frank… Mas lembro perfeitamente da última vez que algo me tocou de verdade, nada mais colocar os pés na Casa Batlló de Gaudí, em Barcelona.

O preço salgado da visita (uns 16 euros) “quase” fez que eu desistisse de entrar. Mas algo lá dentro me chamava. O prédio do Paseo de Gracia 43 não tem apenas uma fachada espetacular, o seu interior reserva coisas muito mais impressionantes.

A Casa pertencia a José Batlló Casanova que num primeiro momento contratou Antoni Gaudí para construir um edifício novo, e logo mudou de idéia e optou por uma reforma da fachada. Mas o que era uma simples mudança da fachada, de algumas paredes e a ampliação de um pátio de luzes, acabou dando a oportunidade à Gaudí de executar uma de suas mais impressionantes obras, entre os anos de 1904 e 1906.

Poesia e arte transformadas em arquitetura diante dos meus olhos… Não tenho palavras para explicar o que eu vi aquele dia. Lindo, impressionante, espetacular. Virei fã número 1 do mestre Gaudí.

Uma dica para quem vai à Barcelona: não deixe de visitar nenhuma das obras de Gaudí, pelo menos as mais centrais. A Casa Milà, conhecida como La Pedrera, a Sagrada Família e o Parque Güell são as mais visitadas, mas existem outras tantas. A Batlló foi a minha preferida e vale muito a pena gastar os euros que se cobram pela visita.

Categories: Espanha

5 comentários

  1. Alessandra Mosquera says:

    Nao sou arquiteta, mas amo Gaudí. Nao dá pra imaginar Barcelona sem ele. Eu fui a Casa Milá, a Sagrada Família, ao Parc Guell e também ao Palau Guell, que eu pensei que era o mesmo lugar onde vc foi. O Palau é demais também, fiz umas 200 fotos da terraza, hehehe.

  2. zeitgeist says:

    Eu também tive uma epifania vendo a casa Battló. Não imaginava ser arrebatado assim pela obra de Gaudi.

  3. Guilherme Moraes says:

    Eu tenho uma foto da battló antes de ela ser reformada pelo gaudi…..hehehehehehe. tu sabia que é uma reforma?

  4. Glenda Dimuro says:

    Sim, sim… me manda a foto! 😛

  5. Barcelona Expedition says:

    Muito legal as fotos, profissionais?! Uma observaçao interessante é que o telhado da Casa Batló representa a espada de San Jordi matando o dragao….

Deixe o seu comentário

Glenda Dimuro