bookmark bookmark  
Glenda DiMuro On March - 25 - 2010

Lembram do tempo em que os colégios não eram mistos? Gurias para um lado e guris para o outro? Para muitos, talvez a grande maioria dos leitores do blog, isso era coisa do tempo nos nossos avôs. Acho que meu pai até chegou a estudar num colégio assim, mas já faz muito tempo.

E quem não se lembra daqueles filmecos norte americanos que a gurizada pulava as janelas para fugir para encontrar o seu amor no edifício vizinho, burlando os vigias noturnos?

Pois aqui na Espanha, por incrível que pareça, AINDA existem escolas deste tipo. Mas o mais impressionante não é isso! Recentemente, foi anunciado que todos os “colegios mayores” (espécie de residência universitária) públicos que ainda separavam os alunos por sexo deveriam passar a ser mistos. E adivinhem? Ao invés de pular de alegria, centenas de jovens foram às ruas para protestar contra a decisão.

Já saltaram psicólogos e “expertos” para tentar explicar o fato. Medo, receio, dificuldades de sair do seu “mundinho”, resumindo, foi o que eles disseram. No protesto, os adolescentes chamaram a reforma de decadente e os jornais lhes acusaram de praticar ritos sexistas em manchetes dizendo: Rebeldes contra la igualdad!

Eu não sou especialista e não consigo entender essa geração (nota-se que já tenho 30). Se eu morasse numa residência só com mulheres (e tivesse 17 anos) já estaria louca para que abrissem logo as portas para os meninos! E não estou falando de “galinhagem” (que também aconteceria), mas quanto antes começar a conviver com o sexo oposto, mais prática social se vai pegando.

É isso, tradicionalismo entre os jovens do século XXI. Que água será que dão para essa gente?

Categories: Espanha

Um comentário

  1. Mirelle Siqueira says:

    Uau! Realmente é surpreendente. Mas o que me incomoda é justamente todo lugar ter a obrigação de ser igual, de utilizar o mesmo sistema entende? Sempre que prevalece a opção de escolha, eu acho mais justo. Não me parece ideal que todas as escolas separem os meninos das meninas, nem que os colegios sejam obrigados a juntar todo mundo. Eh sempre bom termos o direito de escolha ne? Quem quiser estudar em uma escola unisex vai, quem nao quiser, que fique na outra. Democracia!

    Beijos Glenda!

Deixe o seu comentário

Glenda Dimuro