bookmark bookmark  
Glenda DiMuro On August - 20 - 2010

Essa dica é para você que ainda não tem uma conta bancária “recheada”!

Muita gente que chega por essas bandas, seja de turismo ou para viver uma temporada, vem com o dinheirinho contado. Neste caso, abrir o olho e principalmente fechar a mão é imprescindível para não ir à falência.

Então vamos falar por partes, vou tentar dar algumas dicas para os marinheiros de primeira viagem sobre como economizar em terras espanholas, mais especificamente em Sevilha.

1)     Descontos: Como em grande parte da Europa, trazer uma carteirinha de estudante é muito importante, pois dá desconto em museus, cinemas e outras programações culturais. O maior inconveniente é que, na maioria das vezes, a redução dos preços é somente para menores de 25 anos… Se você vai morar em Sevilha, deixe para visitar os pontos turísticos mais importantes (Alcázar, Catedral, etc) depois que estiver “empadronado” (registrado como morador), pois em muitas ocasiões quem mora na cidade entra grátis nesses locais.

2)     A tentação dos restaurantes: Sevilha é uma das cidades que mais bares e restaurantes possui por m2. A cidade tem muita vida noturna e muito “callejera” (de calle – rua). Comer em restaurante é muito bom, a maioria dá água na boca, mas evite aqueles que só servem o menu do dia se quiser gastar pouco. Explico-me. Na Espanha em geral, os restaurantes ou servem os pratos combinados (primeiro, segundo, sobremesa, pão e uma bebida). Na Andalucia tem as famosas tapas (pequenas porções de comidas servidas num prato menor). Há uma variação das tapas que são as chamadas “media ración” ou “ración”, quando elas são servidas em pratos maiores. Os preços variam muito, mas quase sempre duas tapas são suficientes para matar a pequena fome. Resumindo: “salir de tapas” é bom demais e não sai tão caro assim.

3)     Não sei cozinhar: A primeira coisa que uma pessoa aprende quando vai morar sozinho (e ainda mais longe) é a se virar na cozinha. Nem que seja um ovo frito ou esquentar água o cidadão aprende. Mas se a cozinha é território inimigo e o bolso não agüenta “tapear” todos os dias, uma boa dica é comer nos restaurantes universitários. Cada Campus Universitário tem o seu, onde são servidos pratos combinados por um preço bem razoável. A comida é boa, não é maravilhosa, mas dá para o gasto.

4)     Transporte: Em Sevilha tem só uma linha de metrô, assim que as melhores opções de transporte público dentro da cidade são o ônibus e a bicicleta. Sai muito mais barato comprar um “bonobús” (passe de ônibus) em qualquer quiosque (desses de revista) que pagar cada viagem. Podes comprar com transbordo ou sem com 10 viagens cada um, ou ainda um mensal com viagens indefinidas por um mês. Para os estudantes que comprovem que não tem renda suficiente, a Prefeitura facilita um bônus mensal bem mais barato. Mas a melhor opção é a bicicleta pública. Podes comprar abonos para uma semana ou pedir um cartão anual. Mais informações no site oficial e neste post que escrevi.

5)     Cervejinha nossa de cada dia: Beber na balada, como na maioria do mundo, é bem mais caro que comprar a cerveja no supermercado. Vou dar um exemplo: Uma Cruz Campo (cerva mais famosa daqui) de litro no supermercado custa em mécia 1,20 euros; uma “caña” (copo de 330ml) num bar normal (desses que abrem pela manhã e fecham a meia-noite) pode variar entre 1 a 1,5 euros. Na balada pode chegar até 3 euros. Falo da cerveja porque não bebo whisky, mas uma “cubata” na noite pode custar uns 5 euros e uma garrafa 8 no supermercado. Sevilha era famosa por seus “botellones” (botella é garrafa em espanhol) onde centenas de pessoas traziam bebida de casa e se juntavam nas ruas. Atualmente, lei diz que depois das 22 horas ninguém mais bebe na rua (a não ser em mesas de bares) e a policia está de marcação cerrada.

6)     Balada: A maioria dos bares e discotecas de Sevilla não cobra a entrada, mas “mete a faca” nos preços das bebidas. Outra curiosidade é que dependendo se o porteiro vai ou não com a tua cara, pagas ou não. A grande maioria não admite a entrada de gente mal vestida ou homens de tênis. Certa vez nos cobraram 25 euros para entrar numa boate (onde nunca ninguém pagou para entrar) porque estávamos em 15 pessoas. Enfim, aqui tem dessas coisas…

7)     Compartir, compartir, compartir: já diz a frase, quem parte, reparte. Essa é a melhor dica para economizar. A grande maioria das pessoas divide apartamento com outros, seja estudantes ou trabalhadores. Dividindo-se a moradia, os gastos de luz, água, internet também são divididos. Se a convivência é boa, até a comida pode ser repartida. Esta última é melhor coisa, já que aqui na Espanha a maioria das embalagens nos supermercados é tamanho família numerosa (sério, tudo muito grande). Muitas redes fazem altas promoções do tipo 2X1, 3X2 ou diminuem o preço da segunda unidade. Assim fica bom ir ao supermercado acompanhado e dividir a conta no final.

A dica para quem vem de viagem é comprar comida no supermercado e fazer seu próprio “bocadillo” (sanduíche). Nada mais gostoso que depois de horas de caminhada fazer uma pausa num parque para o lanche. Uma das coisas boas da Europa é isso, trazer a marmita de casa não é vergonha nenhuma, pelo contrário, é hábito!

O jeitinho brasileiro ajuda bastante na hora de chegar ao fim de mês. Um pouquinho de planejamento é fundamental para não gastar dinheiro onde não se deve, principalmente quando se gasta em euros! Sevilha não é uma cidade cara, mas se caímos na tentação de viver na esbórnia, a coisa muda de figura. E aqui isso não é muito difícil…

Categories: sevilla

5 comentários

  1. Sandra says:

    Oi Glenda, tudo bem? Meu nome é Sandra e sou brasileira de Belo Horizonte, Minas Gerais. Gostaria de falar com voce por e-mail, msn, skype o que seja para poder tirar umas dúvidas sobre estudar na Espanha, mais precisamente em Sevilha. Talvez voce possa me ajudar. Pode ser? Meu e-mail voce já tem, meu msn é ysabeth2006@hotmail.com e meu skype é sandrahomeopata. Se puder tudo bem, já agradeço. Obrigada.
    Sandra.

  2. mirelle says:

    Nossa, fiquei chocada com esse negocio da balada. Mas nos EUA e em Londres é assim tb, aqui em Lyon não sei como funciona, pois não sou baladeira, mas vou procurar saber. Coisa mais desigual gente! rs

  3. samara says:

    Valeu pelas dias! Estou indo pra Madrid no mês que vem e achei legal isso de dividir a conta do supermercado! Já dividi apartamento aqui em Sampa e sei que quando a gente mora sozinha muita coisa acaba indo pro lixo. E nao posso mandar meus ricos euros pro lixo!

  4. Que bom! Se em Madrid existe o bilhete múltiplo para dez viagens de metrô (semelhante ao Múltiplo 10 do Metrô de São Paulo/SP), Sevilha tem um “bonobús” múltiplo para dez viagens de ônibus. Mais uma opção de economia para que eu e minha esposa, durante nossa passagem pela Espanha, guardemos ainda mais dinheiro para alguma emergência.
    Quanto à alimentação, creio que estaremos bem servidos, pois pelo Google Earth vi que o hotel onde nos hospedaremos é cercado de restaurantes e bares de “tapas”. E aonde quer que formos encontraremos muitas opções para nos alimentarmos, sem falar da possibilidade de almoçarmos na casa dos missionários brasileiros que visitaremos na cidade. Que maravilha! \:D/

  5. Luísa Gonçalves says:

    Oi Glenda! Sensacional seu blog! Eu chego em Sevilla semana que vem pra fazer intercâmbio (e estudo arquitetura!) e estou seu blog tem sido meu maior guia de viagem pra eu me preparar! valeu mesmo pelas dicas!

Leave a Reply to Luísa Gonçalves

Glenda Dimuro