bookmark bookmark  
Glenda DiMuro On January - 25 - 2011

Antes de tudo eu queria deixar claro que sou uma guria do bem e que minha mãe me educou direitinho, ou seja, eu tenho consciência que bisbilhotar a vida alheia é feio, mas não resisti…

Estava eu, linda e morena fazendo minhas tarefas domésticas. Tocava estender a roupa na azotea. Para quem não sabe, azotea significa terraço, um espaço plano que serve de extensão da casa.

Aqui no sul da Espanha (e dizem que por todo o Mediterrâneo) a grande maioria das casas ou edifícios não tem telhados, mas sim uma grande azotea comunitária. Uma laje (naquele sentido bem brasileiro) pois embora muita gente mantenha este espaço arrumadinho, a maior parte do pessoal usa mesmo é para estender roupa.

Mas muitos privilegiados têm a sua azotea privada, onde fazem festinhas, barbacoas e tudo mais (como se fosse um apartamento de cobertura, no Brasil). Mas não é meu caso. Aqui em casa nossa azotea é de todos (e de ninguém), usada por apenas dois vizinhos (o aqui do lado e eu) como varal. Eu ainda dou outros usos ao espaço, principalmente na primavera, quando o sol ainda não torra a pessoa: zona de leitura e jardinagem. Ah, e claro, é a zona de recreação da gata Lola.

Mas não é nada disso que eu queria falar… voltando ao principio…

Estava eu, linda e morena fazendo minhas tarefas domésticas. Tocava estender a roupa na azotea. O frio congelava meus dedinhos, mesmo num dia de sol. Como o nosso varal também é comunitário, estava fazendo malabarismos para encontrar um espacinho para nossas roupas recém-lavadas e cheirosas. Entre um prendedor e outro, uma coisa me chamou a atenção. Meio que petrifiquei (e não foi pelo frio)… corri para pegar a câmera, pois tinha que registrar esta barbaridade…

Confesso que estou exagerando bastante, mas peloamordedeus, gente, olhem as calcinhas da minha vizinha… e as cuecas do meu vizinho. Eles se merecem, né? Por favor, isso já tinha virado pano de chão há meses aqui em casa de tão velhas. E este sistema de ventilação nas cuecas do cara? Olhem o tamanho do furo! Será que ele não perde nada por aquele buraco? Pode clicar na foto para ampliar…

E por essas e outras que minhas roupas íntimas não vão para o varal comunitário. Vá que outro vizinho seja tão intrometido quanto eu!

Categories: Cotidiano, Espanha

13 comentários

  1. Parece que no Brasil (talvez nas comunidades mais carentes, como as favelas do Rio de Janeiro) também existem muitos terraços ou lajes comunitárias. Já os condomínios daqui costumam ter as chamadas “áreas comuns”. Essa é uma das semelhanças entre espanhóis e brasileiros. Aliás, o povo latino em geral é bem sociável, costuma compartilhar espaços e pertences sem qualquer problema.
    Não consegui ver nada de errado com as peças citadas (acho que é porque não consegui ampliar as fotos)… Seria um caso típico do “Esquadrão da Moda”?

  2. Ana says:

    Vc é cômica. Fala sério, o que é aquele rombo nas cuecas do cara? Custa tanto assim por ai comprar uma cuequinha nova?

  3. Fernando says:

    Eu ri, podia né? A descrição das peças e as fotos se complementaram, aqui no Japão tem que se tomar cuidado com peças intimas, principalmente femininas, tem gente aficcionado por roubar e colecionar, vez ou outra algum japinha tarado é pego em flagrante, e quando vistoriam a casa acham dezenas ate centenas de peças bem guardadas com o meliante, Glenda creio que você não estava bisbilhotando a vida alheia não, tava tudo a mostra, via quem queria, ou quem não tapasse os olhos, abraços.

  4. Ernani says:

    huauhahuhuauhauhauha. Muito bom! Mesmo que eles descubram o endereço do blog e entendam português, nunca jamais terão coragem de reclamar. Well done!!! bjo

    • Glenda DiMuro says:

      Ai Ermani, sabe que eu fiquei com medo deles descobrirem? Na real acho que isso é impossível, mas… hahaha… pelo menos serve pra ter vergonha na cara, né?

  5. elisa says:

    pensa pelo lado positivo: nao tem calcinha bege, nem cueca azul calcinha. bjo maluca!

  6. Silvia Tavares says:

    Aiê… Por aí não tem nada mais decente pra se comprar, digo “sobre roupas íntimas” e falo “masculinas E femininas”?! Ainda bem que eu já renovei meu estoque antes de cruzar o oceano. Vai que depois do Pacífico não tenha lojas decentes e se compartilhe “azoteas”!! hehehe

    • Glenda DiMuro says:

      Silvia, aqui as calcinhas ou são fio dental ou são calçolas, difícil arrumar meio termo. Mas a questão aqui é que elas estão velhas e as cuecas do cara tem um furo bem no meio das pernas! Hahaha…mas acho que ninguém consegue ver isso na foto!

  7. LUIZ PETER says:

    Gleeeeenda acho que estás enganada. Veja bem: tá certo que não são Zorbas mas teus vizinhos devem ser doentes. É possível que sofram de flatulência – ventosidade anal, sabes né? prá ficar mais fácil a saída do metano ou gás dos pântanos eles, coitados, devem ter feito os furos nas peças íntimas. Agora deverias saber se sofrem disso prá poder ajudá-los, afinal o Hidreto de Metila (o tal gás expelido) contribui 21 vezes mais do que o CO2 (gás carbônico) no efeito estufa… isso é um problema ecológico.

  8. LUIZ PETER says:

    também deu prá ver que não estás nem aí pros teus vizinhos hahahaha prá expor a “intimidade” dos caras assim. diz uma coisa: eles são velhos? ou tem ancestrais da época medieval e seguem os costumes? hahaha… se descobrirem essas fotos te prepara para o duelo…

  9. hehehe… Eu realmente evitaria estender minhas peSSas intimas num varal comunitário!! Mas europeu é bem relaxado em relacao a isso, né? Acho que nos brasileiros somos mais cuidaddosos com a nossa privacidade.

    Bom fim de semsna

Deixe o seu comentário

Glenda Dimuro