bookmark bookmark  
Glenda DiMuro On June - 9 - 2013

Faz tempo que escrever aqui se tornou uma coisa bem difícil.

Não vou alegar falta de tempo como o principal motivo. Sempre achei um saco essas pessoas que vivem na «correria» e que dizem nunca encontrar tempo para nada que não esteja relacionado com seu trabalho. A gente sempre encontra tempo para fazer o que se gosta, isso é que questão de priorizar o que se faz com as horas livres.

Desde meu último ano aqui na Espanha, tudo o que eu penso em escrever aqui me parece das três uma: 1) fútil/superficial, 2) repetitivo, ou 3) duro de engolir. O que vou contar que já não tenha contado antes? Que (ou mais bem como) posso compartilhar, como posso explicar o que vivo sem ser mal interpretada? Como conseguir ser compreendida por pessoas que não vivem esta agridoce realidade sevilhana em pleno 2013?

Confesso que tenho medo de ficar «espessa» demais. Este blog já é antigo e ao longo desses 7 anos foi mudando de caráter segundo meu próprio amadurecimento. No inicio era uma forma de contato com a família e amigos, passando a ser pouco a pouco um blog de viagens e referências para quem queria vir morar na Espanha, mais precisamente em Sevilla. E os últimos posts tiveram um conteúdo mais bem «político», ainda que bastante diluído. E acho que com o tempo estou perdendo leitoras…

Meu ânimo para textos cor de rosa terminaram. Tudo o que sei sobre a burocracia de estudar por aqui e as dicas básicas de sobrevivência, eu já escrevi, basta fazer um passeio pelas postagens antigas. Cheguei à conclusão que acho um saco escrever dicas de viagens. Já faz tempo que eu nem viajo tanto e existem blogs especialistas na matéria que contam onde comer e o que visitar muito melhor que eu.

Sempre gostei de escrever sobre meu cotidiano, mas dai caímos em outro drama. Mais bem dois dramas. Primeiro, quando o blog tinha meia dúzia de leitores eu conseguia ser mais «relaxada». Não me preocupava tanto com as palavras porque, total, poucos iriam ler. Hoje não consigo achar espaço para aquela naturalidade de antigamente. Meço palavras e fico cheia de papas na língua. Outro saco, porque quem me conhece sabe que esta pessoa, comedida e que escolhe as melhores palavras para se expressar, não sou eu. Não mesmo. Segundo, depois de tanto tempo em Sevilla, já não tenho tantas «novidades»… daquele tipo que interessa quem vem visitar/morar/estudar por aqui.

E é por estas e outras que este blog está parado por tempo indeterminado. Mas uma coisa é certa, se eu continuar a escrever será sobre esta realidade impressionante que estou vivendo neste universo físico-temporal apelidado de «crise». Impossível não falar dela, que é onipresente. E não fiquem pensando que serão posts de lamuria, alarmando que este país está falido e sem solução. O que tenho aprendido neste último ano é que em tempos de crise, surgem oportunidades maravilhosas que talvez nunca tivessem tido a chance de vir à tona nos tempos de abonança.

Se isso vai interessar a alguém? Não sei… acho que poderia (ou deveria). E vou relatar a visão dos fatos que vejo com meus olhos, sinto na minha pele, com as minhas palavras.

Até breve, se eu não mudar de ideia.

Categories: sevilla

18 comentários

  1. karine smith says:

    Eu te entendo, sabe?
    Mas acho que eu só continuo escrevendo porque me preocupo muito pouco se esse ou aquele assunto vai ou não interessar a quem ler, embora meu número de visitas tenha crescido muuuuuito desde que comecei a escrever, acho que quem visita meu blog regularmente, por mais que tenha chegado ali por causa da Irlanda, acaba se interessando pela pessoa por trás, sei que talvez ter um blog pessoal não é o cup of tea de todo mundo, mas ajuda em épocas de “crise” como a que vc está passando….
    Eu por exemplo alterno posts sobre a Irlanda, pessoal, de dicas, de viagem quando elas rolam, sobre algum assunto que tá na mídia e me revolta e por aí vai….mas tenho escrito beeem menos do que escrevia a alguns anos e tinha assunto diariamente, agora me “obrigo” a escrever pelo menos 1 post por semana, acho que menos do que isso eu ia acabar abandonando e pra voltar acho que seria bem mais difícil….

    Um beijo

    • Glenda DiMuro says:

      Karine! Você é super star! 🙂
      Eu sou uma das que sempre te visita. Vou tentar essa de um post por semana. Vamos ver quem segue me aguentando! 🙂

  2. Ana says:

    Às vezes tb me sinto assim, desestimulada, frustrada. Mas ao longo dos anos que escrevo no blog, sei que não vou parar e sempre surgirão assuntos que irão me inspirar a escrever. Atualmente tenho escrito uma vez por semana também. Por mais simples ou “bobo”, alguém sempre se interessará. Acredito no poder de inspiração das histórias de vida.

  3. Beth says:

    Puxa, Glenda…te entendo perfeitamente porque estou passando pelo mesmo. Eu não tenho saco (nem nunca tive) de ficar só escrevendo post cor-de-rosa porque a vida tem muito mais cores e nem tudo são flores, né? Por outro lado, também tenho me censurado cada vez mais pra não ficar “enchendo o saco das pessoas” com as minhas crises.

    Escrever pra mim sempre foi antes de mais nada uma terapia. Eu nunca escrevi para entreter ninguém, quem conhece o meu blog sabe que este nunca foi o objetivo. Eu escrevo pra entender melhor o que se passa na minha cabeça, pra me sentir menos só nas minhas batalhas, pra compartilhar experiências. Mas claro que a maioria dos blogs que vejo por aí ‘;e bem menos “denso” digamos assim…e a gente acaba tendo de entrar nesta onda pra não perder os leitores. Mas eu também aprendi uma coisa: não vou mudar pra agradar aos outros, as pessoas que gostam de mim (e do meu blog), gostam de mim exatamente como sou! Food for thought 😉

    Beijos e não suma!!!

  4. Beth says:

    Escrevi este post recente com um conteúdo bem semelhante, por isso te entendo:
    http://bethblue.blogspot.nl/2013/05/less-is-more.html

  5. Meu contato com este blog pela primeira vez foi para colher informações sobre a Espanha e, mais especificamente, sobre Sevilha. Eu e minha esposa viajaríamos até aí em janeiro de 2011 e precisávamos do maior número possível de dados para não passarmos por nenhum apuro. Graças a Deus, apesar dos percalços (como ficar retido por quase duas horas no Aeroporto de Barajas por causa dum mal-entendido), não somente conhecemos o casal de missionários, a igreja e os demais lugares que gostaríamos, como a Giralda, os Reales Alcázares e a Torre del Oro, mas também conheci você e seu marido pessoalmente e, passando por Madrid, até passamos pelos principais pontos turísticos da capital espanhola!
    Aí chegou a crise européia, que deixou a Espanha à beira da falência. Multidões de desempregados encheram as ruas, imóveis passaram a ser desalojados aos montes, imigrantes e nativos passaram a disputar espaço à unha. Apesar disso, ainda é razoavelmente grande o número de brasileiros que vão até aí para estudar. Conheço duas amigas que passaram um bom tempo estudando na Galícia: uma – que já voltou ao Brasil – em Santiago de Compostela e outra em Pontevedra. Por isso, creio que, apesar de viver na Espanha já não ser recomendável, esse país ainda tem muito a oferecer não só aos brasileiros, mas a todos os turistas do mundo, ainda mais com a iminência de Madrid ser escolhida como sede olímpica para 2020.
    Por isso, continue postando de vem em quando neste blog, ainda que o conteúdo seja bem diferente de antes e as postagens não sejam tão freqüentes. Você pode divulgar as atividades do Gazpacho Rojo, da Red Sevilla Ecoartesana, dos Ecologistas en Acción e até da Bodalux (para ajudar meu xará). Você pode também criar uma seção específica sobre o Brasil para mostrá-la aos espanhóis com os quais você convite, a qual pode ser publicada em dois idiomas (espanhol e português). Enfim, as possibilidades são inúmeras.
    Espero que goste de minhas sugestões. Tenha uma excelente semana!

    P.S.: a partir de hoje, minhas postagens terão como link, no campo website, minha página no Clube de Autores, por meio da qual os visitantes assíduos deste blog poderão conhecer ou até adquirir meus livros.

  6. Ana Carolina says:

    Olá Glenda! Descobri seu blog recentemente e já li praticamente todos os seus posts, mandei e-mail com dúvidas sobre estudar na Espanha e tals. Posso dizer que descobri o seu blog porque estou indo morar em Sevilha para estudar arquitetura durante 6 meses, porém também te digo que não gostaria que você deixasse de escrever porque é muito prazeroso quando entramos aqui e tem uma nova postagem! Entro todos os dias para ler um novo post seu. Indiquei seu blog para várias pessoas e creio que essas também amaram!!!
    Se isso te anime não deixe de escrever porque gosto de todos os seus posts!!! Inclusive os que fala de seu doutorado, de seus passeios (novos ou antigos), de praças daí… TODOS!
    Um beijo

  7. Mirelle says:

    Eu poderia copiar esse texto e colar no meu blog mudando a palavra Sevilha por lyon. É exatamente o que eu sinto! Por isso, te entendo. Mas, como ja escrevi aqui outras vezes, eu faço parte do time que gostaria que vc continuasse. Seu texto é um dos melhores entre os blogs de expatriados que acompanho.

    Bjim!

  8. Paula Fenner says:

    Oiii Glenda! Leio seu blog ja faz um tempo mas sou daquelas leitoras quietinhas… geralmente nao deixo comentarios… 🙁

    Mas desta vez me senti obrigada a escrever, e te pedir que nao pare please! Tens uma otima escrita e assuntos que nos fazem realmente ver a pessoa que esta por tras das palavras. Nao se importe com o que alguns vao te dizer… se gostaram ou nao, o que importa realmente e que um dia teras como olhar para tras e ver por tudo o que passastes… sendo coisas boas ou ruins… nao importa, pois te fizeram crescer e evoluir.

    Me identifico muito contigo… tambem sou gaucha, arquiteta e vivo no exterior (Canada), a ideia de ter um blog sempre me animou muito, mas por diversos motivos sempre posterguei o seu inicio… Portanto querida, deixo aqui minhas palavras de incentivo e carinho para que continues firme e forte!

    Grande beijo!

  9. Glenda, vim aqui dizer pra você continuar escrevendo, seja sobre o que for, porque é uma alegria ver que tem atualização no seu blog. Mas vi que muita gente falou melhor do que eu antes de mim, então não vou repetir. Só queria dizer que desde que fui pra Sevilla em 2009 e te conheci até voltar à Espanha – e já tou quase indo embora de novo! – sempre adorei ver teu olhar sobre esse país querido. Beijo!

  10. Gabriela says:

    Adoro seu blog, não importa o que vc escreve! Seu blog é demais! Beijos

  11. Allan says:

    Bom ter vc de volta.
    As pessoas mudam, as circunstâncias, idem. Porque o blog deveria ser estático?
    🙂

  12. Nos 6 anos que tenho o Vida de Turista já passei por vários momentos de pensar parar. É normal. Mas depois bate a saudade, você vê o trabalho que você já fez até o momento. Faz as pazes e volta naquele tempinho livre para depois aumentar novamente o tempo no blog e começar tudo de novo. Hehe. Faz parte! Por isso é importante fazer um blog que a gente goste pensando na diversão e aprendizado. Abraço!

  13. Francisco Diez says:

    Parabens, Glenda , pela sua sinceridade. Acho que, felizmente ou infelizmente (nao sei), isso faz de voce mais ‘interessante para se ler’. Um abraco de um brasileiro na Eslovenia.

Leave a Reply to Mirelle

Glenda Dimuro